sexta-feira, 22 de abril de 2011

Casamento real: um guia de etiqueta

Como convidados devem se comportar no casamento do príncipe William com Kate Middleton? Para qualquer cidadão comum, a expectativa de encontrar a realeza, especialmente a rainha, pode ser assustadora. Qual a forma correta de se comportar nessa situação?
Reverência
A regra é: não exagere. O Novo Guia Debrett de Etiqueta e Modos Modernos diz que pessoas que fazem reverências longas ou se curvam demais "podem ser um tópico de diversão nos círculos reais".
As mulheres devem fazer uma breve genuflexão (imagem), colocando o peso do corpo no pé que está à frente. Homens devem optar por um aceno de cabeça curto, olhando brevemente para baixo. Faça o mesmo quando alguém da realeza deixar a sala.
Tocar
Embora não haja problemas em aceitar um aperto de mão da rainha, autoridades desencorajam qualquer outra forma de toque.
O ex-primeiro-ministro australiano Paul Keating foi batizado de "Lagarto de Oz" em 1992, quando foi fotografado pondo o braço nas costas da rainha.
Entretanto, dois anos atrás a própria rainha tocou as costas da primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, durante uma recepção no Palácio de Buckingham - gesto que foi retribuído. Um porta-voz do palácio se referiu ao episódio como "uma demonstração mútua e espontânea de afeição e admiração".
Note, entretanto, que jovens integrantes da família real, como os príncipes William e Harry, provavelmente terão uma atitude menos formal em relação a apresentações.
Fotos
Em um banquete de Estado convidados não podem tirar fotos. Um porta-voz do Palácio de Buckingham diz que em todos os eventos da realeza o uso de câmeras pessoais é desencorajado. O evento será coberto por um fotógrafo profissional. Seu nome não deverá ser anunciado até o dia do casamento. Nomes mencionados pela mídia incluem Mario Testino, que tirou as fotos do noivado, e Mary, filha de Paul McCartney.

O que se espera que convidados vistam no dia do casamento?
O convite diz que devem ser usados "uniformes, casacos de fraque ou ternos executivos". Mas o que isso significa?

Uniforme
Apenas membros ativos das Forças Armadas podem usar uniforme militar, e precisam de autorização de um oficial superior para fazê-lo.
De acordo com o guia especializado em etiqueta Debretts: "Cada regimento tem sua própria tradição e protocolo para casamentos. Por exemplo, em alguns casamentos não é de costume usar uniformes, e espadas podem ou não ser usadas".
Se a especulação estiver correta e o príncipe William usar o seu uniforme da Força Aérea Real, então seu irmão, como padrinho e oficial da Cavalaria Real, teria que vestir seu uniforme militar também.
Casaco de fraque
Os convidados homens devem usar um casaco de fraque cinza ou preto, com um colete cinza ou amarelo e calças cinzas risca de giz. Acrescente-se a isso uma cartola cinza, para ser usada ao ar livre ou levada sob o braço, quando no interior. As cartolas devem ser retiradas para fotos oficiais.
Luvas combinando com o colete também devem ser usadas.
O Guia Debretts adverte contra coletes frente única, porque isso não permite que o convidado tire o casaco durante a cerimônia. Gravatas devem ser usadas também, podendo ser uma gravata larga com um broche, assim como uma camisa lisa e abotoaduras. Os sapatos devem ser pretos e com cadarço.
Para as mulheres, este código de vestimentas significa um vestido elegante para o dia - um tailleur, ou um vestido com um casaco, com chapéu e luvas, saltos altos e uma bolsa que combine com eles.

Terno executivo

Para os homens, isso significa um terno executivo simples, vestido com um colarinho discreto e uma gravata.
Mulheres devem usar um vestido de festa para o dia. Casacos e chapéus não são obrigatórios - na verdade, no casamento do príncipe Edward com Sophie Rhys-Jones o uso de chapéus foi desencorajado.
Um conselho do Debretts: "É notoriamente dificil dar dois beijinhos quando se está usando um chapéu de abas largas. Pode se arrumar um jeito, virando a cabeça em um ângulo apropriado, mas duas mulheres com chapéus de abas largas devem evitar esse tipo de cumprimento".


A festa após o casamento terá uma fila de recepção tradicional, com o casal, o príncipe Charles e os pais de Kate. Saiba como falar com cada um deles:
Rainha
Dirija-se à rainha chamando-a de "Ma'am" (abreviação de madame).

Nunca fale a não ser que ela se dirija a você. Fale sobre qualquer coisa de domínio público e evite qualquer assunto privado, como nos exemplos abaixo:
Sua Majestade gostou do café da manhã do casamento? BOM
Quem está tomando conta dos corgis (raça de cães que a rainha aprecia)? RUIM
Príncipes e princesas
Dirija-se a príncipes e princesas chamando-os de "Suas Majestades Reais"
Qualquer um que tenha o título deve ser tratado como "Sua Majestade Real" pela primeira vez, e, em seguida "Senhor" ou "Madame" (Ma'am, em inglês)
Clero
Se você for apresentado ao Arcebispo da Cantuária trate-o como "Sua Graça" ou "Arcebispo", o Diácono de Westminster deve ser tratado como "Diácono".




Como tratar a nobreza presente ao casamento real? A lista de convidados é um verdadeiro quem é quem da aristocracia britânica. No entanto, poucos sabem a forma correta de dirigir-se à nobreza. Aprenda como:
Duque ou Duquesa
Duque é o mais alto dos cinco graus da nobreza. Se um duque for também membro das Forças Armadas, do clero ou um embaixador, seu cargo precede seu título. Por exemplo: "Major-general, Duque de…". A mulher de um duque é sempre uma duquesa, ou Duquesa de X. Em documentos legais, duques são tratados como "O Mais Nobre William Edward, Duque de X".

Marquês ou Marquesa
Depois do duque vêm marqueses ou marquesas. Ao ser apresentado a um, é correto tratá-lo como lord, ou lady, se for mulher. Há atualmente 34 marquesados na Grã-Bretanha. O principal título de marquês da Inglaterra é o de Marquês de Winchester, criado em 1551 (apesar de o dono do título atualmente viver na África do Sul). O primeiro marquesado da Escócia é o Marquesado de Huntly (criado em 1599).

Conde ou Condessa

Conde ou condessa vêm em terceiro lugar na lista de títulos nobiliárquicos. O título existe desde o tempo do rei Canuto (século 10). Há 191 condes (sem contar com o Duque de Wessex, príncipe Edward) e condados de cortesia, além de quatro condessas por direito. O principal condado da Inglaterra e Irlanda é o de Shrewsbury e Waterford (título que atualmente pertence a Charles Hanry John Benedict Crofton Chetwynd Chetwynd-Talbot). Felizmente, ele, como outros condes, devem ser tratados apenas como lord ou lady.
Visconde ou Viscondessa
Viscondes ou Viscondessas são tratados como lordes em vez de Visconde de X. O título vem do posto de vice ou lugar-tenente (de vice- comes, em inglês), que se tornou hereditário no Império Romano, no começo do século 10. Também era usado para o xerife de um condado. Na Grã-Bretanha o título foi registrado pela primeira vez em 1440, durante a Guerra dos Cem Dias, após o rei Henrique 6º ser coroado rei de Inglaterra e França. Ele queria consolidar os títulos dos dois países, e transformou John Lord Beaumont em Visconde Beaumont na Inglaterra e Visconde Beaumont na França.
Barão ou Baronesa
Barão e Baronesa são os mais baixos dos títulos da nobreza. A palavra, em francês arcaico, significa "homem livre". No século 13 os barões eram convocados pelo monarca a comparecer a conselhos ou ao Parlamento. O primeiro barão a receber formalmente o título foi John Beauchamp de Holt, transformado em Barão Kidderminster pelo rei Ricardo 2º, em 1387. Dirija-se a um barão simplesmente como "lorde". Uma baronesa deve ser chamada de "lady". O título de barão ou baronesa é usado apenas em documentos legais ou formais.
A mesma forma de tratamento se aplica na Escócia, onde o equivalente a barão é chefe do Parlamento, título que também pode ser envergado por mulheres - que são tratadas como lady. Há 426 barões hereditários e lordes do Parlamento, sem contar com baronatos e títulos de lorde de cortesia, nove baronesas hereditárias e ladies do Parlamento por direito próprio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário